Porto Alegre

Rio de Janeiro

São Paulo


IN ES BR

Certificações

Certificação CNPQ
Certificação ISO
Certificação empresa ISO 9001:2008 e CNPq.

Receber Notícias

E-mail:
Nome:

REMOÇÃO DE PIGMENTOS COLORIDOS COM LASER Q-YAG

tatuagem laser

O modo de funcionamento dos lasers Q-switched para remoção de tatuagens elimina até mesmo tatuagens coloridas. Em estudo com avaliação pela microscopia eletrônica de tatuagens tratadas usando lasers QS observa-se a destruição de pigmento contido nas células e fragmentação dos pigmentos-alvo.

Esse pigmento é então fagocitado, e uma resposta inflamatória se encarrega de transportar essas células para o tecido linfático.

O QS Nd:YAG tem comprimento de onda de 1064nm, emite luz verde e, através do cristal de KTP (potassium titanyl phosphate), dobra a frequência do 1064nm e também emite o comprimento de onda de 532nm.

Essa versatilidade permite que ele trate pigmentos escuros, como preto e azul-escuro, usando o 1064nm e trate também o vermelho, amarelo e laranja com o 532nm. O comprimento de onda mais longo faz com que esse laser tenha maior poder de penetração e com isso proteja mais os melanócitos da epiderme, reduzindo o risco de manchas.

Conforme já dito, o comprimento de onda do QS Nd: YAG pode ser dobrado com o KTP para 532nm. Esse comprimento de onda é bem absorvido por pigmentos vermelhos, laranja e amarelos. Essa descoberta foi publicada por Anthony e Harland, em estudo realizado com pacientes alérgicos ao pigmento vermelho da tatuagem. Eles utilizaram o QS Nd:Yag com 532nm associado a corticosteroides tópicos com boa resposta.

Geralmente, as tatuagens mais escuras e amadoras respondem bem aos lasers porque, por definição, a cor preta absorve todos os comprimentos de onda da luz visível. Os pigmentos vermelhos e verdes são bem absorvidos pelo QS Nd:Yag 532nm e pelo QS Alexandrite 755nm, respectivamente. Contudo, as tatuagens modernas muitas vezes são compostas por uma mistura de cores que podem ser complexas e muito variável.

Mesmo cores muito semelhantes podem ter composições completamente distintas e, portanto, espectros de absorção muito diferentes. A variação na composição química e na absorção do espectro pode resultar em tatuagens resistentes e mesmo não responsivas ao tratamento com laser. Cores como amarelo e laranja são reconhecidamente muito resistentes e cores como vermelho e verde têm resposta muito variável.

O dióxido de titânio encontrado em tatuagens brancas e de tons avermelhados também é responsável pela má resposta aos lasers. O dióxido de titânio corresponde a 95% do pigmento das tatuagens brancas, que por sua vez são utilizadas em conjunto com as outras tatuagens para ressaltar cor e brilho. Alguns casos de resistência ao verde e azul são atribuídos também à presença do dióxido de titânio.

Cor da tatuagem e o tipo de pele do paciente serão os principais critérios na seleção do laser a ser usado. Como já exposto, o QS Rubi, o QS Nd: YAG (1064nm) e o QS Alexandrite são os mais eficazes no tratamento de tatuagens azuis-escuras e pretas. O carbono contido no pigmento de tatuagens amadoras também responde bem, requerendo tipicamente menor número de tratamentos do que tatuagens coloridas profissionais.

Em peles com maior concentração de melanina, utiliza-se preferencialmente o QS Nd:YAG (1.064nm). Devido ao maior comprimento de onda este laser tem menor interação com a melanina, o que reduz as chances de manchas na pele.

Tatuagens coloridas têm resposta imprevisível ao tratamento. Em geral, os lasers QS irão tratar a maioria das cores, ainda que determinadas cores possam ser altamente resistentes ao tratamento (sobretudo amarelo e laranja).

Alguns lasers podem tratar determinadas cores de forma mais eficaz, como o QS Nd:YAG (532nm) e QS Alexandrite lasers para pigmentos vermelhos e verdes, respectivamente, mas como pigmentos de tatuagem são compostos complexos com composições variáveis, o resultado é variável.


clinica leger s�o paulo Clinica Leger Moema São Paulo

 

Clínica Maison Leger Porto Alegre
Clínica Leger Rio de Janeiro
Clínica Leger Recife