Agendamento: RS +55 (51) 4063.8333, RJ +55 (21) 4063.8333, SP +55 (11) 4063.3338
De segunda-feira a sexta-feira das 8h às 20h | Sábado das 9h às 15h
Voltar
Dermatologia e Nutrologia Dermatologia

Psoríase

Psoríase são lesões avermelhadas que surgem especialmente na pele do couro cabeludo, cotovelo e joelho, na maioria das vezes revestidas por escamas brancas. Determinada geneticamente, a doença é resultado de uma ação indevida do sistema imunológico. A psoríase é uma doença cíclica e multifatorial, ou seja, os sintomas desaparecem e reaparecem e sua incidência depende de vários fatores. Embora não tenha cura, pode ser controlada e não é contagiosa. O tratamento para psoríase pode variar conforme cada tipo e a gravidade da doença.

A psoríase costuma acometer pacientes com até 30 anos e também após os 50, mas em 15% dos casos pode aparecer ainda na infância. Ela pode ser dividida em vários tipos, podendo ser diagnosticada na consulta com dermatologista.

Conheça tratamento para psoríase

Via de regra a psoríase não provoca dor, mas fissuras palmo-plantares podem ocasionar incômodo. A coceira também não é uma característica comum das lesões de psoríase, contudo, esfregar o local pode acelerar a escamação e ocasionar sangramento. Os métodos básicos de controle da doença são hidratação adequada com dermocosméticos  e corticoides tópicos prescritos pelo médico dermatologista. Quando a psoríase se apresenta de forma moderada ou grave é indicado o tratamento com fototerapia e/ou medicamentoso, incluindo drogas imunossupressoras ou até imunobiológicas. A fototerapia é requerida para 25% dos doentes e pode ser utilizada em todas as variantes da psoríase. O efeito imunossupressor dos raios UVB, fazem da psoríase e do vitiligo as únicas dermatoses que melhoram com a exposição solar. Contudo, a exposição não pode ultrapassar 15 minutos diários e é preciso proteger a pele com creme hidrante sobre a lesão e bloqueador solar fator 30 na área adjacente. Como a psoríase pode ser facilmente influenciada pelas condições emocionais, muitas vezes é possível controlá-la sem usar droga nenhuma, apenas com exposição ao sol ou banho de luz e terapia de apoio.