Carregando...
Agendamento: +55 (51) 4063.8333, +55 (21) 4063.8333, +55 (11) 4063.3338
De segunda-feira a sexta-feira das 8h às 20h | Sábado das 9h às 15h
Voltar
Dermatologia e Nutrologia Dermatologia

Hiperidrose

Tratamentos para hiperidrose incluem antitranspirantes com altas doses de alumínio, injeção de toxina botulínica, tecnologia de micro-ondas e simpatectomia, dependendo da região afetada. Hiperidrose é a síndrome do suor excessivo causada pela hiperatividade das glândulas sudoríparas que excede a necessidade de termo regulação. Apesar de não ser uma doença e não oferecer perigo, o problema costuma trazer intenso desconforto físico e social.

Entre os fatores que geram prejuízo social está a errônea correlação entre suor e falta de higiene. No entanto, quem sofre de hiperidrose apresenta uma produção excessiva de suor sem qualquer relação com temperatura do ambiente ou com a limpeza do corpo. Outra condição que não está ligada diretamente à sudorese intensa é a bromidrose. O fenômeno que causa odor nas axilas é desencadeado pela ação das glândulas sudoríparas apócrinas, que expelem matéria orgânica junto com o suor. Essas glândulas estão localizadas principalmente nas axilas e na área genital, no entanto, no processo da hiperidrose podem ser ativadas apenas glândulas écrinas, que produzem um suor limpo e sem cheiro. Nos casos em que houver bromidrose associada, todos os tratamentos que reduzirem o suor axilar irão consequentemente reduzir o mau odor nas axilas.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia os tratamentos indicados para hiperidrose são:

Tratamentos tópicos para suor excessivo podem envolver pomadas à base de metenamina e anti transpirantes com até 20% de cloridrato de alumínio. Entre as alternativas não cirúrgicas, especialmente para hiperidrose generalizada, é possível citar as soluções medicamentosas e, para o tratamento de pés e mãos, é possível mencionar ainda a aplicação de correntes elétricas da iontoforese.

Entre os tratamentos invasivos apresentam-se a curetagem ou lipossucção das glândulas sudoríparas axilares, toxina botulínica e simpatectomia, a cirurgia da hiperidrose que, além de todas as especificidades de uma cirurgia, pode desencadear sudorese compensatória.

O tratamento mais indicado para hiperidose palmo plantar e suor excessivo na cabeça é a aplicação de toxina botulínica. A utilização de toxina inibe a ação dos neurotrasmissores impedindo a comunicação entre o cérebro e as glândulas sudoríparas, que deixam de receber a ordem para produção de suor e reduzem a transpiração.

Tratamento de hiperidrose axilar sem cirurgia

Apesar da toxina botulínica também ser indicada para controlar o suor excessivo embaixo dos braços, já é possível contar com uma opção não invasiva de tratamento da hiperidrose axilar. O equipamento de terapia por micro-ondas é um tratamento de longa duração realizado em apenas uma hora que reduz consideravelmente o suor excessivo já na primeira sessão. A tecnologia registrada na Anvisa com o nome técnico de Sistema de Microondas para Terapia, não é invasiva e permite o retorno à rotina no mesmo dia.

Micro-ondas: o tratamento do suor excessivo nas axilas com micro-ondas é realizado ambulatorialmente e tem rápida recuperação. Através das micro-ondas emitidas por um aparelho fruto de cinco anos de estudos norte-americanos é possível selar as glândulas sudoríparas e impedir a produção do suor excessivo. Tudo isso sem prejudicar a camada mais superficial da pele que é mantida refrigerada durante todo o processo.

A definição do tratamento mais apropriado para hiperidrose dependerá do local afetado, da intensidade do suor e das condições físicas e histórico clínico do paciente, o que será discutido em avaliação presencial com o médico.

Leia mais sobre para toxina botulínica para hiperidrose palmo plantar e sobre tecnologia de micro-ondas para hiperidrose axilar.